Willy, the restless purring cat


Foi por esta altura, há 6 anos, quando preparávamos o Natal, que numa visita à associação Midas cruzei o meu olhar com um pequeno gato que se exibia como um malabarista, no meio da sua ninhada, a chamar pela minha atenção.

Costuma dizer-se que são eles que nos escolhem e ali não foi excepção! Tirei-lhe uma foto e namorei-o todos os dias durante uma semana até convencer todos que ele já era família, só ainda não estava em nossa casa. Fomos buscar o pequeno William, que em casa virou Willy e desde então não sabemos viver sem ele!

É um gato-cão, que se relaciona connosco como nenhum outro que alguma vez tenhamos conhecido, e que soube roubar o cantinho mais secreto do meu coração.

Descobrimos mais tarde que o pequeno Willy era PIF+ , uma doença altamente contagiosa entre felinos, e que por essa razão não poderíamos adoptar mais gatos porque isso seria sempre uma sentença de morte para um novo gatinho saudável!

Até que, um ano mais tarde, conhecemos o Meireles! Um pequeno, envergonhado e o mais assustado gatinho que alguma vez vi, que procurava um lar, tarefa muito difícil, porquê? Porque era também PIF+ e só poderia entrar numa casa sem outros animais ou adivinhem só…onde já existisse outro na mesma condição. Apresentaram-mo como: Olá, este é o Meireles e tu és a única esperança para a vida dele! Dava para não o trazer? Claro que não! E assim a família cresceu, e desta forma ficamos a conhecer a amizade mais bonita que alguma vez vimos, até hoje inseparáveis!


Deixe um comentário


Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos